domingo, março 22, 2009


O Quase.

2

ainda pior que a convicção de um não e a incerteza de um talvez, é a desilusão de um quase.
é o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo o que poderia ter sido e não foi.

quem quase ganhou, ainda joga; quem quase passou, ainda estuda; quem quase morreu, está vivo; quem quase amou, não amou.

basta pensar nas oportunidades que escapam pelos dedos, nas chances que se perderam por medo, nas idéias que nunca sairam do papel por essa maldita mania de viver no outono.

sobra covardia e falta de coragem até para ser feliz.

a paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.

talvez estes fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são.

o nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

não é que a fé não mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente a paciência, porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

pros erros há perdão; pros fracassos, chances; pros amores impossíveis, tempo. de nada adianta cercar um coração vazio ou economizar a alma.
não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
desconfie do destino e acredite em você.
gaste mais tempo realizando do que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando; porque embora quem quase morreu, continua vivo; quem quase vive, já morreu!


Boa noite amores ;@

2 Sonhos:

mara disse...

ola, praser!!!
adorei u ke vuxe escreveu ai em cima muitu legal e verdadeiro!!!
bejuxxx (-.-)

Tamara L. Allgäuer de Melo. disse...

Maravilhoso!!!
Parabéns, que blog lindo!!
Grande beijo.
Tamara - Café com Gato.